MANANCIAL

MANANCIAL
"Jardim fechado és tu, minha irmã, esposa minha, manancial fechado, fonte selada". (Cânticos 4:12)

terça-feira, 29 de novembro de 2016

A MORTE DE FIDEL.

Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. Não deis lugar ao diabo. (Efésios 4:26,27). 

Ó Senhor Deus, a quem a vingança pertence, ó Deus, a quem a vingança pertence, mostra-te resplandecente. (Salmos 94:1).
Jubilai, ó nações, o seu povo, porque ele vingará o sangue dos seus servos, e sobre os seus adversários retribuirá a vingança, e terá misericórdia da sua terra e do seu povo. (Deuteronômio 32:43).

O SENHOR é um Deus zeloso e que toma vingança; o SENHOR toma vingança e é cheio de furor; o SENHOR toma vingança contra os seus adversários e guarda a ira contra os seus inimigos. (Naum 1:2).

É difícil para nós cristãos não nos alegrarmos e não desejarmos a morte de tiranos tais como Hitler, Mussolini, Stalin, Mao Tse-tung e Fidel Castro; ainda vivemos nas fraquezas da carne e lutando contra elas, porém o que não podemos fazer é tomar a vingança nas nossas mãos, pois isto seria dar lugar ao diabo e ele não pode ter domínio sobre nós. Portanto, levemos tudo a Deus o qual é justo juiz e o perfeito vingador, Ele retribuirá a cada um segundo as suas obras. Resta-nos esperarmos somente Nele.

E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? E foram dadas a cada um compridas vestes brancas e foi-lhes dito que repousassem ainda um pouco de tempo, até que também se completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos como eles foram. (Apocalipse 6:9-11).

L. M. S.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

ADESTRADORES E ADESTRADOS.

Sei que muito além dos atributos físicos, o que verdadeiramente se valoriza no mundo real é a inteligência, pois dela advém a capacidade de criar tecnologias, de resolver cálculos matemáticos complicados, de discernir ontologicamente* o mundo ao redor e dar respostas às grandes indagações humanas.

*Ontologia – Significa “estudo do ser” e consiste em uma parte da filosofia que estuda a natureza do ser, a existência e a realidade. A palavra é formada através dos termos gregos “ontos” (ser) e “logos” (estudo, razão).

A maioria das pessoas, assim como eu, pensa que são sábios, mas a verdade é que a maioria não é; nós somos, em grande parte, humanos de inteligência mediana e por isso somos capazes de ser treinados para executar tarefas, sendo algumas delas fáceis e outras com certo grau de dificuldade. Não estou chamando ninguém de “burro”, nem a mim mesmo, mas apenas expondo a realidade factual.

Pense comigo! Se perguntarmos a todos os que usam celulares, do modelo mais simples ao mais sofisticado o que eles sabem a respeito do seu funcionamento, certamente a maioria não saberá, mas um pequeno número arriscará um palpite e, talvez, se houver dentre eles algum técnico, então conseguiremos uma resposta satisfatória. Mas isto não implica que o tal é mais inteligente do que os outros e sim que ele foi treinado numa área específica e absorveu bem o que aprendeu.

Há algum tempo atrás eu me achava muito inteligente, mas descobri que eu era na verdade muito arrogante em relação às pessoas. Hoje sei que não sou especial, pois o conhecimento que angariei não foi descoberto por mim mesmo, mas fui ensinado e aprendi como qualquer outra pessoa e, portanto, estou no mesmo patamar de alguns e abaixo de outros.

Tomemos o exemplo de uma classe escolar com quarenta alunos; menos de 2% dos alunos se destacam em todas as disciplinas e um grande número de alunos em apenas algumas ou em nenhuma delas e isto é um fato. Os professores que ensinam os alunos dessa classe e usam um simples giz para escrever no quadro negro, às vezes nem sabem como ele foi fabricado; e aqueles que utilizam computadores no dia a dia, quase todos não são capazes de construir um micro chip sequer!...

Quero ressaltar que o “acúmulo de conhecimento” nem sempre se traduz num Q. I. acima da média, porque a inteligência superior vai além da capacidade de utilizar as informações acumuladas de maneira prática, porque quem a possui sempre se portará acima dos demais níveis de inteligência devido a uma aptidão natural para a ciência. A verdade é que a inteligência superior é aquela que consegue enxergar, entender e solucionar coisas que pessoas comuns não conseguem fazer.

Despindo-nos de todas as máscaras, temos que concordar que muito do que aprendemos, sabemos e usamos diariamente das descobertas científicas e suas tecnologias, nós não podemos provar, explicar ou reproduzir e é por isso que aceitamos as informações que recebemos como verdades incontestáveis. Por exemplo, o ar que respiramos não se pode vê-lo ou tocá-lo, contudo podemos senti-lo, então, Lavoisier, depois Cavendish, e mais tarde Ramsay descobriram que ele é composto de nitrogênio, oxigênio, gás carbônico, vapor de água e outros gases, porém a população em geral não pode reproduzir ou entender quase nada das experiências que esses cientistas realizaram para que suas teses fossem provadas.   

A conclusão é que há no mundo poucas pessoas com inteligência superior; “raros como o xenônio*”! Porém, a “grande massa” pensa que sabe alguma coisa, contudo ela é sábia somente aos seus próprios olhos e dessa “sapiência ventral” surgem alguns arrogantes que, como papagaios, repetem as teses e as teorias absurdas lidas ou ouvidas de algum cientista: “Ah! O universo é em sua maior parte matéria escura”; “a vida é fruto de mais de um bilhão de anos de evolução”; “o Big Bang deu origem as galáxias”; “a Terra tem mais de quatro bilhões de anos”; “os dinossauros foram extintos há sessenta e cinco milhões de anos”...

*Xenônio é um gás raro na natureza, pode ser encontrado em pequenas proporções no ar atmosférico e a partir daí é isolado. Uma de suas aplicações é a iluminação.

OS FALSOS MESTRES.

“Os mestres receberão o mais duro juízo”.

Um macaco foi treinado para reagir a estímulos luminosos e assim apertar alguns botões toda vez que eles acendessem, cada vez que isso acontecia um petisco era dado ao animal. Muito bem! Depois disso os adestradores puseram o macaco dentro de um foguete e o mandaram para o espaço. O animalzinho foi e voltou são e salvo de uma missão que parece fantástica para qualquer pessoa. Mas não havia nada de fantástico com o bicho, ele foi apenas treinado e a nave nem estava sob o seu controle.

Liderar é algo muito perigoso, porque quem lidera sabe que está à frente de outros para conduzi-los, e se esse líder for movido por gananciosos interesses pessoais e não pelos anseios do grupo, os guiados serão usados por ele como massa de manobra para alcançar as suas ambições. É por isso que Tiago diz: “Não queirais ser mestres, porque os mestres receberão o mais duro juízo” (Tiago 3:1). Paulo também advertiu: “Se anuncio o Evangelho não tenho que me gloriar, pois me é imposta esta obrigação, e ai de mim se não o fizer” (1 Cor. 9:16). Jesus também fez referência aos maus líderes assim: “Se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova” (Mateus 15:14). Destarte, o mundo caminha a passos largos para a sua destruição, pois a humanidade segue os sábios eleitos dentre os homens segundo as suas próprias concupiscências (2 Timóteo 3:13; 1 João 4:5). 

“Porque, vede irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados” (1 Coríntios 1:26). Ouvi meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam? (Tiago 2:5).

“Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus” (Mateus 5:3). E toda a multidão procurava tocar-lhe, porque saía dele virtude, e curava a todos. E, levantando ele os olhos para os seus discípulos, dizia: Bem-aventurados vós, os pobres, porque VOSSO É O REINO DE DEUS (Lucas 6:19,20).

Amigos! Quem entre vocês ainda pensa que a sabedoria do mundo pode desvendar os mistérios de Deus? Quem ainda pode crer que Deus chamou os sábios dentre os homens para por meio deles anunciar a Sua salvação?

Alguns argumentarão que Barnabé, Paulo, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço* do tetrarca Herodes e Simeão, o Níger; eram “doutores” e profetas na Palavra em Antioquia (Atos 13:1). Sim! Paulo e Barnabé eram homens instruídos na Lei e nos Profetas, sendo que Barnabé era um levita e Paulo antes de conhecer a verdade foi fariseu, um “doutor da Lei” instruído por Gamaliel. Mas que por ocasião da conversão ao Evangelho, Barnabé vendeu um campo que possuía e trouxe a soma aos pés dos apóstolos (Atos 4:36,37) em sinal se submissão (*); e Paulo considerou tudo o que era e possuía como refugo, lixo, escória, como perda para ganhar a Cristo (Filipenses 3:8).

*Colaço – irmão de criação, isto é, não do mesmo sangue, mas amamentado no mesmo peito.

(*) Os levitas eram os responsáveis por receber os dízimos dos filhos de Israel, visto que eles não possuíam herança na terra, ou seja, herdades agrícolas para produção de alimentos e criação de gado. Eles não pagavam dízimos, mas recebiam-nos. No gesto de alguém ofertar ou dizimar a outro alguém está a seguinte figura: “o menor oferta ou paga dízimos ao maior; o maior recebe a oferta ou dízimo do menor; o menor é abençoado pelo maior” (Hebreus 7:1-7). Portanto, quando Barnabé vende seu campo, sua herdade, traz o seu preço e o deposita aos pés dos apóstolos, ele está reconhecendo a superioridade do sacerdócio de Cristo, e que o menor oferta ao maior, e o maior abençoa o menor (Hebreus 7). Uma figura disso são as autoridades constituídas que recebem os impostos; nós pagamos tributos aos poderes de nosso país porque eles estão acima de nós (Romanos 13:1-7).  

Não sou ignorante, sei e creio que a Igreja é um corpo e, como tal, possui vários membros, sendo diferentes uns dos outros, mas dependentes entre si. O que enfatizo é que os instruídos não devem se estribar no seu entendimento, e que os ricos não devem confiar em seus tesouros, mas que ambos se gloriem em humilhar-se ante o Senhor, o qual exalta os humildes e abate os soberbos (Salmos 147:6; Provérbios 3:5; Tiago 1:9,10 e cap. 4:6).

O Senhor usa quem Ele quer e do modo que quer. Assim como Ele “encheu” da Sua Palavra a boca do indouto apóstolo Pedro no dia de Pentecostes, para anunciar o Evangelho e converter quase três mil almas, também usou o letrado apóstolo Paulo como Seu arauto diante dos reis e príncipes do mundo de então.

“Destruindo conselhos e levando cativo todo o entendimento a Cristo”. Porque neste tempo que ainda nos resta para vivermos na carne, não militaremos mais segundo a carne, porque as nossas armas não são carnais, mas espirituais. (2 Cor. 10:3-5).

Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. (1 Coríntios 1:18-21).

Este é o poderoso conselho de Deus.

L. M. S.


              

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

OS DOIS DIAS DA ERA CRISTÃ.


"Vinde, e tornemos ao SENHOR, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Depois de DOIS DIAS nos dará a vida; e ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante Dele" (Oséias 6:1,2).

OS TRABALHADORES DA VINHA.

Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, pai de família, que saiu de madrugada a contratar trabalhadores para a sua vinha.
Ajustou com os trabalhadores o salário de UM DENÁRIO POR DIA, e mandou-os para a sua vinha. Cerca da hora terceira saiu, e viu que estavam outros, ociosos, na praça, e disse-lhes: Ide também vós para a vinha, e dar-vos-ei o que for justo. E eles foram. Outra vez saiu, cerca da hora sexta e da nona, e fez o mesmo. E, saindo perto da hora undécima, encontrou outros que estavam ociosos, e perguntou- lhes: Por que estais ociosos todo o dia? Responderam-lhe eles: Porque ninguém nos contratou. Disse-lhes ele: Ide também vós para a vinha e recebereis o que for justo. Ao anoitecer, disse o senhor da vinha ao seu mordomo: Chama os trabalhadores, e paga-lhes o salário, começando pelos últimos até os primeiros. (Mateus 20:1-8).

O BOM SAMARITANO.

Jesus, prosseguindo, disse: Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu nas mãos de salteadores, os quais o despojaram e espancando-o, se retiraram, deixando-o semimorto. Casualmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e vendo-o, passou de largo. De igual modo também um levita chegou àquele lugar, viu-o, e passou de largo. Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou perto dele e, vendo-o, encheu-se de compaixão; e aproximando-se, ATOU-LHE AS FERIDAS, DEITANDO NELAS AZEITE E VINHO; e pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem e cuidou dele. No dia seguinte tirou DOIS DENÁRIOS, DEU-OS AO HOSPEDEIRO e disse-lhe: CUIDA DELE; e tudo o que gastares a mais, EU TO PAGAREI QUANDO VOLTAR. (Lucas 10:30-35).

ENTREGUES AOS CUIDADOS DO HOSPEDEIRO.

NÃO VOS DEIXAREI ÓRFÃOS; VOLTAREI PARA VÓS. Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque Eu vivo, e vós vivereis. NAQUELE DIA CONHECEREIS QUE ESTOU EM MEU PAI, E VÓS EM MIM, E EU EM VÓS. Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e Eu o amarei, e me manifestarei a ele. Disse-lhe Judas (não o Iscariotes): Senhor, de onde vem que te hás de manifestar a nós, e não ao mundo? Jesus respondeu, e disse-lhe: SE ALGUÉM ME AMA, GUARDARÁ A MINHA PALAVRA, E MEU PAI O AMARÁ, E VIREMOS PARA ELE, E FAREMOS NELE MORADA. Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou. Tenho-vos dito isto, estando convosco. MAS AQUELE CONSOLADOR, O ESPÍRITO SANTO, QUE O PAI ENVIARÁ EM MEU NOME, ESSE VOS ENSINARÁ TODAS AS COISAS, E VOS FARÁ LEMBRAR DE TUDO QUANTO VOS TENHO DITO. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize. Ouvistes que eu vos disse: Vou, e venho para vós. Se me amásseis, certamente exultaríeis porque eu disse: Vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que Eu. (João 14:18-28).

O SELO DE DEUS.

E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, NO QUAL FOSTES SELADOS PARA O DIA DA REDENÇÃO. (Efésios 4:30).

E vi outro anjo subir do lado do sol nascente, TENDO O SELO DO DEUS VIVO; e clamou com grande voz aos quatro anjos, quem fora dado que danificassem a terra e o mar, dizendo: Não danifiques a terra, nem o mar, nem as árvores, ATÉ QUE SELEMOS NA SUA FRONTE OS SERVOS DO NOSSO DEUS. (Apocalipse 7:2,3).

Porque é impossível que os que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e SE FIZERAM PARTICIPANTES DO ESPÍRITO SANTO, e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro, e depois caíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; visto que, quanto a eles, ESTÃO CRUCIFICANDO DE NOVO o Filho de Deus, e o expondo ao vitupério. (Hebreus 6:4-6).

"Faça um DIADEMA DE OURO PURO e grave nele como se grava UM SELO: CONSAGRADO AO SENHOR. Prenda-o na parte da frente do turbante com uma fita azul. Estará SOBRE A TESTA DE ARÃO; assim ELE LEVARÁ A CULPA DE QUALQUER PECADO QUE OS ISRAELITAS COMETEREM em relação às coisas sagradas, ao fazerem todas as suas ofertas. Estará SEMPRE SOBRE A TESTA DE ARÃO, para que AS OFERTAS SEJAM ACEITAS PELO SENHOR. (Êxodo 28:36-38).

Naquele dia O SENHOR DOS EXÉRCITOS SERÁ por coroa de glória e diadema de formosura para o restante de seu povo; e POR ESPÍRITO DE JUÍZO para o que se assenta a julgar, e POR FORTALEZA para os que fazem recuar a peleja até a porta. (Isaías 28:5,6).

O ESPÍRITO DO SENHOR DEUS ESTÁ SOBRE MIM, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; a apregoar O ANO ACEITÁVEL DO SENHOR E O DIA DA VINGANÇA DO NOSSO DEUS; a consolar todos os tristes; a ordenar acerca dos que choram em Sião que se lhes dê UMA COROA em vez de cinzas, ÓLEO DE ALEGRIA em vez de pranto, VESTIDOS DE LOUVOR em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantação do Senhor, PARA QUE ELE SEJA GLORIFICADO. (Isaías 61:1-3).

UM DIA PARA O SENHOR É COMO MIL ANOS.

Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que UM DIA PARA O SENHOR É COMO MIL ANOS, E MIL ANOS COMO UM DIA. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se. (2 Pedro 3:8,9).

Porque MIL ANOS AOS TEUS OLHOS SÃO COMO O DIA DE ONTEM QUE PASSOU, e como uma vigília da noite. (Salmos 90:4).

O NASCIMENTO DE CRISTO.

Jesus Cristo nasceu entre os anos de 6 e 4 antes da Era Cristã. Não temos a exatidão da data do seu nascimento, pois o calendário romano, que hoje seguimos passou a ser baseado no nascimento de Jesus quando o Papa, no governo da Igreja Católica daquela época no século VI, determinou que um monge estudioso chamado Dionísio, o Pequeno, calculasse qual foi o ano exato do nascimento de Jesus de Cristo. Em seus estudos e cálculos o monge Dionísio afirmou que Jesus possivelmente teria nascido no ano 753 da fundação da cidade de Roma (referência do calendário usado) quando deveria ter encontrado as datas de 747 e 749. Portanto, o ano em que estes estudos foram feitos deveria ter sido os anos de 529 a 531 d.C., mas ficou marcado definitivamente como o ano de 525 d.C. e assim permaneceu historicamente, ficando esta diferença de 4 a 6 anos até hoje, de forma que Jesus nasceu de 6 a 4 a.C. (http://www.abiblia.org/).

O MINISTÉRIO DE JESUS.

“Ora, Jesus, ao começar o seu ministério, tinha cerca de trinta anos”... (Lucas 3:23a).

Segundo a narrativa do Evangelho de João, o evangelista faz menções das quatro festas da páscoa judaica, a qual era celebrada uma vez por ano (João 2:13-23; 5:1; 6:4 e a última páscoa é mencionada em João 18:28,39 e cap. 19:14,31, quando Jesus é condenado à morte). Isso indica que o período do ministério de Cristo teria sido de três anos, ou alguns meses mais. Portanto, conclui-se que Jesus viveu neste mundo por cerca de trinta e três anos, e três anos destes em Seu ministério, esse cálculo é o resultado da soma da indicação de Lucas 3:23 com as referências pascais do Evangelho de João. (http://www.abiblia.org/).

O NASCIMENTO DA IGREJA.

E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos concordemente no mesmo lugar; E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E TODOS FORAM CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. (Atos 2:1-4).

Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que SE ALGUÉM NÃO NASCER DE NOVO, NÃO PODE VER O REINO DE DEUS. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Em verdade, em verdade te digo que SE ALGUÉM NÃO NASCER DA ÁGUA E DO ESPÍRITO, NÃO PODE ENTRAR NO REINO DE DEUS. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. (João 3:3-6).

... Enquanto Pedro ainda dizia estas coisas, desceu o Espírito Santo SOBRE TODOS OS QUE OUVIAM A PALAVRA. Os crentes que eram de circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que TAMBÉM SOBRE OS GENTIOS SE DERRAMASSE O DOM DO ESPÍRITO SANTO; porque os ouviam falar línguas e magnificar a Deus. Respondeu então Pedro: Pode alguém porventura recusar a água para que não sejam batizados ESTES QUE TAMBÉM, COMO NÓS, RECEBERAM O ESPÍRITO SANTO? (Atos 10:44-47).

... Ouvindo eles estas coisas, apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Assim, pois, DEUS CONCEDEU TAMBÉM AOS GENTIOS O ARREPENDIMENTO PARA A VIDA. (Atos 11:18).

O DIA E A HORA DA 2ª VINDA DE CRISTO.

Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai. (Marcos 13:32).

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; (Mateus 28:18,19).

Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel? E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder. Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. (Atos 1:6-8).

Depois de assunto ao Céu, Cristo recebeu do Pai “todo o poder no Céu e na Terra”, então o dia e a hora que antes de ser glorificado não sabia, Ele passou a saber. Por isso que quando os seus discípulos fizeram nova indagação a respeito da Sua segunda vinda, Ele desconversou. 

Não podemos dizer o “Dia e a Hora” e nem ano com exatidão, porém temos pistas de que O ANO ACEITÁVEL DO SENHOR, o período da Era Cristã é de dois mil anos, DOIS DIAS segundo a Bíblia, pois fomos entregue aos cuidados do Hospedeiro (Espírito Santo; Parábola do Bom Samaritano) que recebeu o pagamento de “dois denários” (um denário é o pagamento por um dia de serviço – Parábola dos Trabalhadores da Vinha), sendo o Espírito Santo o SELO DE DEUS para o Dia da Ressurreição, fomos marcados pelo Senhor em nossas mentes e corações na Nova Aliança dos últimos dias: “Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo”. (Jeremias 31:33).

Podemos dar um palpite de quando se dará a segunda vinda de Cristo: será no término da Era da Igreja na Terra quando se encerrar os DOIS DIAS, isto é, quando chegar ao fim os DOIS MIL ANOS da Era Cristã; aí então Cristo voltará para buscar os Seus escolhidos. Porém este período não pode ser contado a partir do nascimento de Jesus, mas do nascimento da Sua Igreja, isto é, a partir da descida do Espírito Santo sobre os crentes no Dia de Pentecostes, pois foi ali que a Noiva de Cristo nasceu.

Se arriscarmos uma conta: + ou – 33 anos da vida de Jesus + 2.000 anos da Era Cristã = 2.033; porém Cristo nasceu + ou – 5 anos antes da Era Cristã, então: 2.033 – 5 = 2.028. Chegamos a um resultado, contudo impreciso, mas podemos perceber que nós estamos muito próximos da Sua segunda vinda e que ela poderá acontecer mais ou menos em 2.028. Então, O DIA E A HORA, realmente ninguém pode saber e nem precisar com exatidão o ano do arrebatamento da Igreja, entretanto sabemos que está muito perto. Portanto, quem é injusto, que pratique a injustiça, e quem é sujo, suje-se mais, e quem é limpo, limpe-se mais ainda, e quem é santo santifique-se mais (Apoc. 22:11). Esta é a ordenança do Senhor.

“Eis que venho sem demora, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra”. (Apocalipse 22:12).

L. M. S.       

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

CRISTÃOS PODEM FAZER TATUAGENS?

Em Levítico 19:28 está escrito: “Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o Senhor”. Este versículo é bastante claro para qualquer crente em Jesus, de que há algo de errado com o uso de tatuagens pelo povo de Deus, porém alguns creditam tal estatuto somente à Antiga Aliança (Velho Testamento) e que por estarmos vivendo sob a Graça na Aliança do Sangue de Cristo, não precisamos nos preocupar com tal ordenança; será correto tal pensamento?

A Escritura do Novo Testamento nos diz assim: “Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança” (Romanos 15:4 NVI). E ainda confirma-nos o apóstolo dos gentios que: Essas coisas ocorreram como exemplos para nós, para que não cobicemos coisas más, como eles fizeram. Não sejam idólatras, como alguns deles foram, conforme está escrito: "O povo se assentou para comer e beber, e levantou-se para se entregar à farra". Não pratiquemos imoralidade, como alguns deles fizeram, e num só dia morreram vinte e três mil. Não devemos pôr Cristo à prova, como alguns deles fizeram, e foram mortos por serpentes. E não se queixem, como alguns deles se queixaram, e foram mortos pelo anjo destruidor. Essas coisas aconteceram a eles como exemplos e foram escritas como advertência em figuras para nós, sobre quem tem chegado o fim dos tempos. Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia! (1 Coríntios 10:6-12 NVI).

O cerne de Levítico 19:28 está intrinsecamente ligado aos demais versos deste capítulo, os quais estão intimamente unidos ao verso 2 que diz: “Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: SANTOS SEREIS, PORQUE EU, O SENHOR VOSSO DEUS, SOU SANTO”. E o apóstolo Pedro repete este mandamento para todos os crentes dizendo: “Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, SEDE SÓBRIOS, e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo; como FILHOS OBEDIENTES, não vos conformando com as CONCUPISCÊNCIAS QUE ANTES HAVIA EM VOSSA IGNORÂNCIA; mas, COMO É SANTO AQUELE QUE VOS CHAMOU, sede vós também SANTOS EM TODA A VOSSA MANEIRA DE VIVER; Porquanto está escrito: SEDE SANTOS, PORQUE EU SOU SANTO”. (1 Pedro 1:13-16). 

O estudo abaixo é o melhor que já li a respeito do motivo pelo qual os crentes em Cristo Jesus não devem fazer tatuagens. Visto que para alguns cristãos a Palavra de Deus não é o suficiente, então, que os tais leiam e se informem com os depoimentos de especialistas na história e na “arte” da tatuagem.
L. M. S.

Obs.: O estudo a seguir está no blog:  http://adalges.blogspot.com.br/

TATUAGENS.

"Vós adorais o que não sabeis"
Durante toda a História do homem as tatuagens sempre estiveram associadas ao paganismo, demonismo, misticismo, xamanismo, adoração de Baal, canibalismo e todas as práticas pagãs conhecidas. As tatuagens NUNCA estiveram associadas ao Cristianismo nem a Cristãos firmes crentes na Palavra de Deus.

Além disso, sempre que o Cristianismo entra numa cultura, as tatuagens (tal como o paganismo) desaparecem. A única exceção são os mornos, carnais, e desobedientes "Cristãos" laodecianos.

O nascimento das tatuagens deu sempre origem ao crescimento de religiões pagãs e misticismo. Sem exceção, pesquisa após pesquisa, estudo após estudo, livro após livro confirmam exatamente isso: as tatuagens estão relacionadas ao paganismo.

A documentação que se segue é apenas uma pequena gota de água no oceano de registros que comprovam a origem ocultista e demoníaca das tatuagens.

Lembrem-se duma coisa: os escritos a seguir foram editados em livros pró-tatuagem e listam a óbvia ligação espiritual e conexão religiosa das tatuagens aos cultos pagãos. Não são escritores Cristãos tentando colocar as tatuagens sob uma má luz. Por mais que o "Cristão" carnal e rebelde tente justificar a sua lógica distorcida para se tatuarem fazendo a marca na pele, coisa proibida pelas Escrituras (Levítico 19:28), os fatos falam mais alto e são suportados por toneladas de pesquisas e documentações escritas por autoridades pró-tatuagens.

O fundamento, origem, propósito e significado das tatuagens encontram-se no demonismo pagão, xamanismo, adoração de Baal e misticismo ocultista. Em muitas culturas, o tatuador é ao mesmo tempo um xamã, um "magick-man", um sacerdote ou sacerdotisa. De acordo com o dicionário, o xamã é um intermediário entre o mundo natural e o mundo sobrenatural, usando magia para curar doenças, prever o futuro e controlar as forças espirituais (www.infoplease.com/ipd/A0648969.html).

Tatuar o corpo é muitas vezes um ritual mágico em culturas mais tradicionais e o tatuador é um sacerdote ou xamã respeitado. (Michelle Delio, Tattoo: The Exotic Art of Skin Decoration, p. 73)

Nas Ilhas Fiji, Formosa, Nova Zelândia e em certas tribos índias norte americanas, tatuar era visto como uma cerimônia religiosa levada a cabo por sacerdotes e sacerdotisas. (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 64).

O processo de tatuar um corpo, que envolvia rituais complexos e tabus, só poderia ser feito por sacerdotes, e estava associado a crenças que eram conhecidas apenas pelos membros da casta sacerdotal... Hambly concluiu que, historicamente, o ato de tatuar originou-se em conexão com rituais antigos de escarificação e sangria, que estavam associados com práticas religiosas destinadas a colocar a alma humana em harmonia com forças sobrenaturais, e garantir a continuidade entre esta vida e a próxima. (Gilbert, Steve, Tattoo History: A Source Book, p. 158).

O tatuador, o xamã ou o sacerdote ocultista, muitas vezes usa a tatuagem como um ponto de contato, ou zonas de entrada para o mundo espiritual. A tatuagem é muito mais que apenas uma "decoração corporal", ela é muito mais que uma simples camada de tinta inserida dentro da pele. De fato, até ao século 20, a tatuagem foi sempre um veículo para invocações religiosas pagãs. Mesmo hoje, em muitos países ocidentais, acredita-se que a tatuagem é uma ponte para o mundo sobrenatural. A famosa bruxa e autora Laurie Cabot escreve o seguinte sobre as tatuagens:

As origens da tatuação estão relacionadas com artes mágicas antigas. (Laurie Cabot, Power of the Witch, cited in Masonic and Occult Symbols Illustrated by Dr. Cathy Burns, p. 301).

De acordo com Amy Krakow em sua crônica The Total Tattoo Book, 'tatuar sempre teve funções bem definidas: marcar um ritual de passagem duma fase da vida, invocar os espíritos, orgulhosamente, desafiadoramente ou sorrateiramente mostrar quem tu és através da arte corporal’.

Muitas tribos praticavam tatuação terapêutica. Os Ojibwa, por exemplo, tatuavam as têmporas, a testa e as bochechas daqueles que sofriam de dores de cabeça ou dores de dentes que eles julgavam terem sido causadas por espíritos malignos. Músicas e danças que se supunham exorcizar os demônios acompanhavam a cerimônia de tatuação. (Gilbert, Steve, Tattoo History: A Source Book, p. 90).

A tatuagem centra-se na personalização do corpo, tornando-o num verdadeiro corpo e templo digno do espírito que habita dentro dele... Tatuar o corpo, portanto, é uma forma de manter as necessidades espirituais e materiais do meu corpo em equilíbrio. (Michelle Delio, Tattoo: The Exotic Art of Skin Decoration, p. 8).

Entre as taras atuais, no que se trata de tatuagens, existem as "tatuagens tribais" - que mais não são que puro paganismo. As tatuagens tribais são designs que possuem simbolismo místico sério e significado ocultista. As tatuagens tribais em especial são canais possíveis para a possessão espiritual e demoníaca.

Quando os designs são escolhidos com cuidado, as tatuagens possuem um poder e magia própria. Elas decoram o corpo, mas ao mesmo tempo engrandecem a alma. (Michelle Delio, Tattoo: The Exotic Art of Skin Decoration, p. 13)

O motivo pelo qual perfurar a pele pode ser considerado com algum grau de admiração não é difícil de encontrar, uma vez que, em primeiro lugar, há o derramamento se sangue - o que para o mundo selvagem é algo cheio de significado como um fator de rejuvenescimento e imortalidade. Há em adição a abertura de várias entradas por onde o mal pode penetrar. . . (Hambly Wilfrid D. 1925. The History of Tattooing and its Significance, p. 233, cited in Gilbert, Steve, Tattoo History: A Source Book, p. 162).

A revista Rolling Stone descreve o famoso artista tatuador durante a tatuação, como alguém que permite que os seus demônios-clientes o ajudem a guiar a agulha. (Rolling Stone magazine, March 28, 2002, p. 40).

A tatuação birmanesa tem sido associada com a religião há milhares de anos. O ato de tatuar entre os grupos indígenas da América do Norte está fundamentado na esfera espiritual também. (Laura Reybold, Everything you need to know about the dangers of tattooing and body piercing, p. 15).

Crânios impressos na pele abundam e representações do Anjo da Morte (eng: "Grim Reaper") são vistas com regularidade. Estas imagens, indelevelmente marcadas na pele, refletem a incerteza em relação ao futuro e sublimam o medo universal do desconhecido. Possivelmente, e ao mesmo tempo, o uso da figura de morte no corpo pode ser uma invocação de quaisquer que sejam as forças indefiníveis da natureza e do cosmos que existem, numa tentativa de proteger de tal destino quem carrega a tatuagem. (Henry Ferguson and Lynn Procter, The Art of the Tattoo, p. 76)

No seu livro exaustivo Art, Sex and Symbol, Ronald Scutt foca-se em grande detalhe na história e na cultura das tatuagens. Scutt documenta que, na maioria das vezes, as tatuagens estão associadas a propósitos espirituais, religiosos e místicos. A documentação seguinte é do livro de Scutt:
De fato, tendo em vista o seu desenvolvimento subsequente, é muito mais provável que as tatuagens tenham um significado místico, ou que tenham sido usadas como um símbolo de status... (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 22)

[Tatuar] "Em associação com a adoração do Sol, construções megalíticas, perfuração das orelhas, adoração da serpente"... (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 22).

Acredita-se que estas marcas [tatuagens] estão associadas à adoração da deusa do Sol Neith. (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 24).

Seja o que for, as tribos primitivas estavam sem dúvidas convencidas que o espírito, havendo escapado do corpo por altura da morte, retinha uma réplica do anfitrião terrestre. Devido a isso, eles usavam as tatuagens como identificação no próximo mundo e um passaporte para a futura felicidade. (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 63).

Os índios Mohave instituíram a tatuação do queixo em ambos os sexos porque se acreditava que um tipo de Juiz observava todos os que chegavam ao Sil’aid (Terra dos Mortos) e se um homem não tivesse marcas na sua face, Ele [o Juiz] enviava-o para o submundo onde os ratos do deserto estão. (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 63).

Entre outras tribos índias existia a convicção que durante a viagem em direção aos céus - em direção às "muitas moradias" - eles seriam parados por uma mulher velha e examinados (em busca de tatuagens na testa, no queixo ou no pulso). Se não houvesse alguma, o desafortunado seria empurrado de um ponto alto e lançado na Terra sem esperança de alguma vez readquirir aceitação no mundo espiritual. (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 63).

Os Hindus em Bengal acreditavam que sem tatuagens os pais não seriam capazes de reconhecer os filhos no outro mundo. (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 63).

Outras tribos defendiam que as mulheres sem tatuagens serviriam de comida para os deuses. (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 64).
No entanto, a adoração do deus-Sol Baal envolvia a marcação das mãos com o sinal divino [tatuagens] numa tentativa mística de adquirir força. (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 64).

De acordo com as pesquisas e estatísticas, Scutt lista as razões em várias culturas que levavam e ainda levam pessoas a fazerem tatuagens em seus corpos.

"Razões para fazer uma tatuagem:
Garantir um lugar no céu; aplacar os maus espíritos na altura da morte; adquirir características especiais através do totemismo e a adoração de ancestrais; tornar o corpo sexualmente interessante. (Ronald Scutt, Art, Sex and Symbol, 1974, p. 13).

O Dr. Hambly, provavelmente o maior historiador e pesquisador de tatuagens que já viveu, escreve vez após vez que as tatuagens baseiam-se em rituais religiosos e espiritismo pagão. Qualquer estudo honesto e sério em torno das origens e fundamentos das tatuagens vão claramente expor as intenções demoníacas e sobrenaturais das mesmas.

No seu popular livro "Tattoo History: A Source Book", o entusiasta das tatuagens e historiador, Steve Gilbert cita alguns fatos históricos que Hambly encontrou durante a sua extensa pesquisa.

Hambly juntou uma vasta gama de exemplos colhidos das pesquisas de antropólogos em várias partes do mundo. Segundo seu arquivo, as tatuagens tinham o propósito de:
Prevenir as dores;
Proteger o corpo das feridas causadas com armas;
Dar força sobre-humana;
Preservar a juventude;
Aumentar os poderes sobrenaturais do xamã;
Garantir a sobrevivência da alma depois da morte;
Identificar a alma no além;
Atrair a boa sorte;
Proteger o corpo da bruxaria;
Garantir a proteção duma divindade;
Conferir poderes ocultistas;
Prevenir o afogamento;
Exorcizar os demônios;
Garantir a proteção por parte dum animal totêmico ou guarda espiritual; Lembrar uma peregrinação a um lugar santo etc.

O GRANDE INIMIGO DAS TATUAGENS: O SENHOR JESUS CRISTO.

Segundo a História, sempre que as tribos pagãs (com o hábito de usar tatuagens) se convertiam ao Cristianismo, sem exceção, uma das primeiras práticas pagãs a desaparecer era o uso de tatuagens [II CORÍNTIOS 5:17].
E por quê? Porque, ao contrário dos "Cristãos" desobedientes e carnais da atualidade, os pagãos convertidos SABIAM que as tatuagens são contra a Palavra de Deus. O Espírito Santo rapidamente dizia aos pagãos convertidos: "Agora, tu és meu, não faças tatuagens no teu corpo" (Levítico 19:28). E os ex-pagãos, ao contrário dos Cristãos ocidentais de hoje, OBEDECIAM. Tal como aconteceu nas civilizações que usavam as tatuagens, mas quando estas tribos pagãs se converteram ao Cristianismo, os seus rituais religiosos e culturais (que incluíam o uso de tatuagens, piercing e escarificação) foram todos banidos. (Jean-Chris Miller, The Body Art Book : A Complete, Illustrated Guide to Tattoos, Piercings, and Other Body Modifications, p.9).

Quando o Senhor Jesus chega, as tatuagens desaparecem.

Sempre que os missionários se depararam com tatuagens, eles erradicaram-nas. (Gilbert, Steve, Tattoo History: A Source Book, p. 101)

Embora estas e outras modificações corporais tenham continuado a ser praticada no “underground” como forma dos não-Cristãos se identificarem uns aos outros, e Deus te livre de seres apanhado e teres as tuas marcas reveladas. (Jean-Chris Miller, The Body Art Book : A Complete, Illustrated Guide to Tattoos, Piercings, and Other Body Modifications, p.11)

Um autor desconhecido diz o seguinte:
Tenho muitos amigos que fizeram tatuagens antes de aceitarem a salvação. Sem exceção alguma, todos eles estão hoje em dia, envergonhados com as suas tatuagens, e sempre que podem, tentam escondê-las. Mas antes de terem sido salvos - tal como as tribos pagãs - eles orgulhosamente exibiam as suas tatuagens. Deixem-me acrescentar uma coisa: muitos deles começaram a sentir vergonha das tatuagens ANTES de lerem Levítico 19:28, ou antes de alguém lhes dizer que as tatuagens são condenáveis. Depois de receberem o Senhor Jesus Cristo, e com a ajuda da infusão do Espírito Santo, eles SABIAM que as tatuagens desagradam a Deus.

Glória a Deus por tal evidência de unidade no Espírito.

Um testemunho poderoso em torno do autor das tatuagens é descrito por Steve Gilbert:
Quando Cortez e os seus conquistadores chegaram às costas do México em 1519, eles ficaram horrorizados por descobrir que os nativos não só adoravam demônios em forma de estátuas e ídolos, como de alguma forma haviam conseguido imprimir imagens indeléveis destes ídolos na sua pele. Os espanhóis, que nunca haviam sido expostos às tatuagens, reconheceram rapidamente isto como obra do Satanás. (Gilbert, Steve, Tattoo History: A Source Book, p. 99).

Embora os Católicos espanhóis nunca tivessem sido expostos a tatuagens, eles "reconheceram rapidamente isto como obra do Satanás". No entanto, os desobedientes, carnais e rebeldes "Cristãos" atuais dizem coisas ridículas como: "marcarem-se para Jesus" (!).

AS TATUAGENS E O MUNDO CIVILIZADO.

Alguém pode dizer "Mas isso foi na idade das trevas. Isso foi nas terras pagãs. Tudo isso mudou hoje em dia. Hoje ninguém faz relação entre as tatuagens e rituais espirituais pagãos."

Fazem sim senhor!

Estas tatuagens agem como talismãs protetores e conferidores de poder a quem o usa. Há até alguns artistas corporais que executam tatuagens ritualistas, piercing, marcações, e cortes. Eles podem até sugerir que o cliente consulte o seu quadro astrológico como forma de escolher a melhor parte para fazer a “arte corporal”. Eles irão queimar incenso e acender velas também. (Jean-Chris Miller, The Body Art Book : A Complete, Illustrated Guide to Tattoos, Piercings, and Other Body Modifications, p. 29).
Alguns tatuadores no Ocidente estão a experimentando a tatuação ritualista. Este método de trabalho incorpora rituais para a criação de um espaço sagrado na área onde a tatuagem será posicionada. Usualmente incenso é queimado e os deuses convidados para abençoar os resultados. (Michelle Delio, Tattoo: The Exotic Art of Skin Decoration, p. 75).

TATUAGENS: O CÁLICE DOS DEMÔNIOS.

Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. (1 Coríntios 10:21).

http://adalges.blogspot.com.br/

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

DEUS ESTÁ NO CONTROLE.

Quantas vezes vocês já ouviram a frase acima em canções, pregações, slogans, faixas e temas de congressos nas igrejas? Pois é! Eu pelo menos já ouvi e vi muitas vezes e em vários lugares, porém quem falou ou escreveu a “dita cuja” frase usou-a em vão, porque não se ateve ao que ela realmente diz.

Sim, Deus está no controle! Ele está no comando de tudo o que acontece no mundo, porque nada foge das Suas mãos (Deut. 32:39; Isaías 43:13).

Amós 6:13,14 – Vós que vos alegrais do nada, vós que dizeis: Não é assim que por nossa própria força nos temos tornado poderosos? Porque, eis que EU LEVANTAREI SOBRE VÓS, Ó CASA DE ISRAEL, uma nação, diz o Senhor, o Deus dos Exércitos, e oprimir-vos-á, desde a entrada de Hamate até ao ribeiro do deserto.

Apocalipse 12:10-12 – E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte. Por isso alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo.

Sabemos por registros históricos de reinos se levantaram e sucumbiram e que reis tiveram seus momentos de glória e depois a infâmia, civilizações outrora poderosas tiveram seu ocaso e, derrotadas, caíram no esquecimento. Todas essas coisas aconteceram pela vontade e presciência de Deus. Ele as levantou e as derribou, pois do Senhor é a Terra e sua plenitude e nem sequer um mísero pardal cai sem a Sua anuência (Salmos 24:1; Mateus 10:29). Por que então há ateus e céticos? Porque até as tolas descrenças dos homens são permissões Dele, pois é assim que o Criador prova os corações e as mentes, mas nunca se deixa sem testemunho, pois Nele vivemos e nos movemos, no Deus desconhecido por muitos, mas que ainda derrama as chuvas sobre justos e injustos, e faz o sol brilhar sobre crentes e descrentes, sendo misericordioso com todos para que ninguém seja escusável diante Dele e diga: “eu não o sabia” (Mateus 5:45; Atos 17:23-28; Romanos 3:19).

UM POUCO DE ALIMENTO SÓLIDO (Hebreus 5:11-14).

O Senhor diz: Eu mato, e faço viver; Eu firo, e Eu saro; ninguém há que possa escapar das Minhas mãos; Eu visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem, mas faço misericórdia a mil gerações dos que temem o Meu Nome; Eu faço a paz e crio o mal; Eu formo a luz e crio as trevas (Deut. 5:9,10 e 32:39; Isaías 45:7). Sim amigos, pasmem! Somente o Senhor é Deus, somente Deus é o Senhor de tudo e de todos.

Quando Israel pecou contra seu Deus, e desprezou o único e verdadeiro Deus; foi Ele mesmo, o Onipotente Senhor quem levantou os reinos que puniriam os israelitas séculos antes deles terem cometido tal loucura (Jeremias 32:28-30; Amós 9:7; Habacuque 1:1-7).

Hoje, o Islã, uma das cabeças (da Besta) ferida de morte pela espada, mas depois curada, reerguer-se contra judeus e cristãos deixando todos os moradores da Terra atônitos com seus atos de terror, assassinatos e ameaças. Homens desmaiando de terror pela expectação das coisas que estão e estarão acontecendo, porque nesses tempos de culto ao homem e à razão, a fé “Naquele que tudo pode” ficou fora de moda, o ceticismo abandonou o ser humano à sua própria sorte. Porém, o E.I. ou I.S.I.S. (Estado Islâmico do Iraque e da Síria) e a doutrinação comunista nos países ocidentais emergem do mar das nações pela mão de Deus para que Seus escolhidos venham abrigar-se debaixo de Suas asas e façam do Altíssimo a sua habitação (Salmo 91). Deus, por meio desses algozes, está chamando seus filhos de volta à Sua proteção, porque o Senhor corrige a quem ama e disciplina com vara de açoite a todo aquele que recebe por filho, se, porém, alguns se acharem sem disciplina paterna, os tais não são filhos, mas bastardos (Hebreus 12:4-8).

“E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo” (Mateus 10:28).
Aqui reside a paciência e a fé dos santos: quem tiver que ser morto à espada, morrerá, e quem tiver que ser levado em cativeiro, em cativeiro irá; o Senhor dá e torna a tomar, preciosa é a morte dos Seus servos aos Seus olhos. Os que edificaram com ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno e palha serão todos provados no fogo, e a obra de cada um o “dia” a declarará, se a obra permanecer o edificador receberá galardão, todavia de ela for consumida pelas chamas, sofrerá detrimento, contudo o tal será salvo como que pelo fogo (Apocalipse 13:10 e 14:9-16; João 10:18; Salmos 116:15; 1 Coríntios 3:11-17).

“As nações se embraveceram e os reinos se moveram; o Senhor levantou a Sua voz e a Terra se derreteu” (Salmos 46:6).

Deus irá abalar os Céus e a Terra e por amor abreviará o tempo cuidando que os salvos não desfaleçam na fé por causa da impiedade generalizada dos homens, porque ao se multiplicar a iniquidade, amor de muitos se esfriará. No dia exato, na hora certa Cristo virá; embora pareça demorar, Ele não tarda, antes é longânimo esperando que o último filho encontre o “caminho” de casa, e a última ovelha seja achada e trazida nos ombros do Pastor de volta ao aprisco, e assim, Jesus Cristo entregará o Seu Reino ao Pai com todos os filhos que Deus Lhe deu (Joel 2:10; Ageu 2:6,21; Hebreus 12:26; Mateus 24:12; Marcos 13:19,20, 24-27; 1 Coríntios 15:24; 2 Pedro 3:9; Isaías 8:18).

Não fale apenas da boca pra fora e não cante só por cantar, mas creia, pois DEUS ESTÁ NO CONTROLE. Amém!

L. M. S.
   


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

O MANÁ (O QUE É ISTO).

O QUE É ISTO? É O PÃO QUE DEUS VOS DÁ PARA COMER.

Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas “que é isto” para tantos? (João 6:9).

“Este é o pão que o Senhor vos dá para comer”, foi o que Moisés respondeu ao povo de Israel quando lhe perguntaram à respeito daquela coisa miúda que o orvalho do céu depositara no deserto, porque eles não sabiam o que era: E chamou a casa de Israel o seu nome MANÁ (que é isto?); e era como semente de coentro branco, e o seu sabor como bolos de mel (Êxodo 16:31).E, vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: “Que é isto”?... (Êxodo 16:15).

O paralelismo entre o povo de Israel e nós cristãos é muito significativo de tanto que a história dos israelitas foi-nos deixada como em figura (1 Cor 10:6) e tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito (Rom. 15:4). A saída do Egito, a passagem do Mar Vermelho, peregrinação no deserto, as murmurações, o bezerro de ouro, a água da Rocha, e todas as demais coisas que Israel experimentou antes e depois de atravessar o Jordão são exemplos para que nós fiquemos atentos e vivamos sobriamente.

Ao longo dos séculos, visando precaver-se de todas as possíveis adversidades, as Igrejas se organizaram como uma empresa, como uma instituição secular. Hoje elas possuem gestores, advogados, políticos, riquezas, e muitos outros meios de subsistir em detrimento da sua fé, digo isto porque esses meios pragmáticos afastaram os cristãos do “modelo” original ditado pelo Espírito Santo. Da mesma maneira, o Templo de Jerusalém também distanciou-se do Tabernáculo erigido por Moisés conforme o modelo visto no monte (Êx. 25:9,40 e 26:30; Núm. 8:4; Atos 7:44; Filip. 3:17; 2 Tim. 1:13; Hebr. 8:5). Quando me refiro a “fé” não estou falando de um credo ou religião professada, mas do viver da fé e por meio da fé em Cristo. Saibam que Davi pecou gravemente contra Deus quando fez o censo em Israel. Pecou contra Deus porque pensou em organizar seu poder militar na força de seu exército e não no poder do Senhor dos Exércitos (1 Crônicas 21).

“Dai-lhes vós de comer”... (Mateus 14:16; Marcos 6:37; Lucas 9:13). Duzentos denários de pão não seriam suficientes! Despede-os para que vão até as aldeias e cada um compre pão para si...

Quando Jesus Cristo voltar achará fé na Terra? (Lucas 18:8b).

A pergunta acima é “retórica” (questionamento que não objetiva uma resposta, e sim estimular a reflexão do ouvinte sobre um assunto) e Cristo a faz ao final da Parábola do Juiz Iníquo, com intuito de nos despertar para a realidade cristã no fim dos tempos.

Leiamos a “Parábola do Juiz Iníquo”:

E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer, dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem. Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário. E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens, todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito. E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz. E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a Ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando, porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? (Lucas 18:1-8).

Creio que o leitor já ouviu de antemão, alguma explanação sobre este assunto, então peço que “ature” mais uma, porém garanto que esta não será como as outras.

Vamos em primeiro lugar analisar alguns pontos da ilustração. Temos os personagens da parábola: um juiz injusto, que não teme a Deus nem respeita os homens e uma viúva oprimida importunando-o; o porquê da parábola: “o dever de orar sempre sem esmorecer”; o enredo da parábola: o clamor por justiça é ignorado a princípio, mas sua insistência molesta o juiz que responde em favor da viúva; a moral da história: quando Cristo voltar pela segunda vez não achará fé na Terra.

Amigos! O que nós temos aqui é uma profecia dos momentos finais da Igreja. Sim! Uma profecia sobre uma Igreja dividida: a Igreja Juiz, que não teme mais a Deus e não ama os desvalidos, e a Igreja Viúva que perdeu o Esposo e está abandonada à sua sorte, por isso vive oprimida pelo adversário.

A Igreja viúva se compõe de crentes sinceros de coração que buscam a Deus na Igreja juiz, porém, inutilmente. Esta última desviou-se de Deus e já não se importa mais com os pecadores escravizados pelo diabo. A Igreja juiz está estabelecida no mundo, ela é a executora da lei e não sua cumpridora, portanto, se fez surda ao Espírito Santo e aos sofredores; já não sente as dores dos pobres, nela não há empatia, pois seu amor se esfriou. Contudo, uma viúva clama diuturnamente e, na sua sede de justiça, importuna os ouvidos dos injustos, pois a retidão dos justos molesta os que não temem a Deus, mas a orientação divina é de orar sempre sem desfalecer, de clamar sem cessar, porque bem-aventurados são os que têm fome e sede de justiça, pois eles serão fartos. “Porque está escrito: Alegra-te, estéril, que não dás à luz; Esforça-te e clama, tu que não estás de parto; Porque os filhos da solitária são mais do que os da que tem marido” (Gálatas 4:27).

Disse o Senhor: “Se estes se calarem, as próprias pedras clamarão” (Lucas 19:40).

Tocai a trombeta em Sião, santificai um jejum, convocai uma assembléia solene. Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, congregai as crianças, e os que mamam; saia o noivo da sua recâmara, e a noiva do seu aposento. Chorem os sacerdotes, ministros do Senhor, entre o alpendre e o altar, e digam: Poupa a teu povo, ó Senhor, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que os gentios o dominem; por que diriam entre os povos: Onde está o seu Deus? Então o Senhor se mostrou zeloso da sua terra, e compadeceu-se do seu povo. (Joel 2:15-18).

“Tocar a trombeta em Sião” significa convocar o povo que pertence a Deus para reunir-se solenemente, isto é, ajuntar-se com devido temor ao Senhor;“apregoar um jejum” tem a conotação de abster-se do mundanismo que foi introduzido ao longo dos séculos no seio das Igrejas; “saia a noiva do seu aposento e o noivo da sua recâmara”, se traduz em instar para que a verdadeira Igreja, a noiva do Cordeiro retire-se do conforto de Babilônia e venha para fora de seu arraial corrompido, porque o Noivo (Cristo) já está a caminho; “chorem os sacerdotes entre o alpendre e o altar” diz respeito ao modo pelo qual o povo de Deus retornará a Ele... Sim! Este é o modelo que fará com que o Senhor se compadeça dos seus escolhidos; um coração contrito não será desprezado. Os que confundem predestinação com apatia espiritual ficarão de fora, não porque são cães, mas porque são tímidos, medrosos, covardes e preguiçosos (Prov. 6:9-11, Apoc. 21:7,8) e não tomam posição por nada, ficam em cima do muro e não na brecha dele (Ezequiel 22:30).

Desde sempre o inimigo das nossas almas tem-se infiltrado no meio cristão com suas variadas idéias e doutrinas, contudo os crentes se fazem de desentendidos. “Um pouco de fermento leveda toda a massa”, já dizia o Mestre, mas o difícil e por na cabeça de alguns crentes esta verdade. Lembremo-nos da mulher de Ló que voltou atrás porque, embora tenha seguido seu marido, ainda amava seu perverso lar; consideremos a atitude e as palavras do servo mau e negligente que enterrou sua fé porque achou o método do seu Senhor severo demais e não funcional.

Conheço pessoas que se chamam pelo nome de Cristo e que abraçaram as mais variadas e absurdas ideologias mundanas. Marxistas, segregacionistas, evolucionistas, universalistas, ecumenistas, e outros “istas” misturados com a fé cristã por aqueles que querem uma nova “cara” para o Evangelho de Jesus, pois o “caminho apertado e a porta estreita” são antiquados na visão que eles têm de Igreja.  

Em nossos dias as lutas sociais foram embutidas no seio eclesiástico. Líderes evangélicos que deveriam ocupar-se da Palavra de Deus e da salubridade espiritual do rebanho do Senhor labutam, atualmente, por justiça social. Eles se embaraçam nas disputas entre classes, nos conflitos raciais, nas passeatas e manifestações políticas usando demagogicamente o Reino do Céu em interesses próprios. “Ai deles! Tomaram o caminho de Balaão, pois ensinaram os filhos de Deus a se prostituírem e a comerem dos sacrifícios aos ídolos”... 

No meio dessa “panela fervente” encontra-se uma igrejinha que está viúva. Os “usurpadores” mataram o seu marido, assassinaram o herdeiro e tomaram posse da vinha. E como o mataram??? Eles apresentaram a esse “povozinho” um Cristo morto, inerte, sem vida, incapaz de cuidar de quem quer que seja. Por isso eles conduzem os pobres de espírito por “atalhos” que os levam de volta ao Egito, de volta à escravidão sob a mão de Faraó. A alma desse pequeno rebanho clama e chora porque está de luto pelo seu Pastor, elas são as ovelhas destinadas à matança e as que estão feridas e caídas nos montes; entretanto, no fim dos dias, o próprio Senhor Jesus Cristo às buscará, Ele enviará os Seus santos anjos (mensageiros) e ajuntará os Seus escolhidos nos quatro cantos da Terra, e porá sobre os que se enlutaram por Ele uma coroa de glória no lugar de cinzas.

Sentados à mesa de Deus, comendo do Maná do Céu, participando do Cálice do Senhor, e mesmo assim ainda há crentes que se perguntam: “que é isto”? Eles não têm a mínima ideia do que é comer da Palavra e viver pela fé nela, porém o Espírito Santo ainda nos instiga: “Dai-lhes de comer”; “toquem a trombeta em Sião”; e não se calem...

“Não temas ó pequeno rebanho, pois o Senhor se agradou em dar-vos o Reino”. Lança o teu Pão! Reparte-o com um, com dois, com três, com sete e ainda com oito porque não sabes o mal que virá sobre a Terra, não sabes o que sucederá amanhã (Eclesiastes 11:1,2).

É por isso precisamos falar com os que não querem ouvir e instar aos ouvidos dos conformados com o mundo, devemos perturbar os moradores da terra para despertar os dormentes e os embriagados do vinho das falsas doutrinas.

Mas o que tenho eu? Cinco pães e dois peixinhos? Mas “o que é isto” para tantos?...

L. M. S.